General Alexander Meigs Haig Jr., ex-general do Exército que se tornou chefe de gabinete da Casa Branca durante o escândalo de Watergate

0
Powered by Rock Convert

 

 

 

 

 

Ex-secretário de Estado dos EUA Alexander Haig

General Alexander Meigs Haig Jr. (Pensilvânia, 2 de dezembro de 1924 – Baltimore, 20 de fevereiro de 2010)ex-general do Exército que se tornou chefe de gabinete da Casa Branca durante o escândalo de Watergate e secretário de Estado durante o governo Reagan. Alexander Haig, serviu em altos cargos em três governos republicanos e chegou a se candidatar à Casa Branca.

Haig, ex-general do Exército, foi conselheiro de Segurança Nacional do governo de Richard Nixon (1969-1974), durante o qual ganhou as quatro estrelas de general. Em 1973, ele ocupou o cargo chefe de gabinete de Nixon, no qual permaneceu durante o escândalo de Watergate.

O ex-general ocupou cargos no governo de Gerald Ford (1974-1977) e foi secretário de Estado na administração Ronald Reagan entre 22 de janeiro de 1981 e 5 de julho de 1982.

Ele tentou a candidatura republicana à Presidência dos EUA em 1988, mas fracassou e acabou perdendo a indicação para George H. Bush.

Haig buscou a presidência dos EUA, mas sua proposta de candidatura pelo partido Republicano fracassou em 1988, numa campanha conhecida por áspera ridicularização de outros candidatos, inclusive o vice-presidente George Bush, que venceu as eleições.

Simbolicamente, o mais próximo que Haig chegou à presidência foi quando ele declarou à mídia: “Estou no controle aqui”, após a tentativa de assassinato de Ronald Reagan em 1981.

Críticos chamaram a declaração, que parecia afirmar incorretamente a linha sucessória presidencial, de pomposa e militarística e foi usada posteriormente contra ele durante sua campanha eleitoral.

Haig conquistou seu lugar na história norte-americana ao manter a presidência unida em 1974 durante os meses que antecederam a renúncia de Richard Nixon no escândalo de Watergate.

Dizendo aos amigos que “quando seu presidente pede, você faz”, ele renunciou relutantemente ao posto de vice-chefe do Estado-Maior do Exército em maio de 1973 para assumir o mais alto cargo de chefe de gabinete na Casa Branca, no momento em que o governo Nixon estava aos poucos perdendo o controle.

oexploradorPowered by Rock Convert

Haig emergiu como um dos poucos funcionários respeitados e de mãos limpas diante do escândalo, e foi amplamente reconhecido por persuadir Nixon a evitar uma batalha feia e desagregadora sobre o impeachment, que levou à primeira renúncia de um presidente dos EUA.

Nascido em 2 de dezembro de 1924, na Filadélfia, Haig foi militar de carreira. Ele entrou para a Academia Militar dos EUA em West Point e passou a Segunda Guerra (1939-1945) como cadete. Mais tarde, serviu na Guerra Coreana e da Guerra do Vietnã.

Sua entrada na política ocorreu em 1962, quando tornou-se assistente do secretário de Defesa Robert McNamara.

Sete anos depois, foi escolhido por Henry Kissinger como seu vice no Conselho de Segurança Nacional.

Depois da saída de Nixon da Casa Branca, em 1974, ficou apenas seis semanas no governo Ford antes de voltar ao Exército como comandante aliado superior da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) na Europa, cargo que manteve até 1979.

Sua carreira continuou no setor privado durante alguns anos, mas voltou à Casa Branca em 1981 para trabalhar com Reagan.

Por muitos anos, o nome de Haig foi frequentemente mencionado como sendo o “Garganta Profunda”, a lendária fonte do Washington Post que ajudou a derrubar Nixon. Em 2005, o ex-oficial do FBI Mark Felt, quebrou o silêncio e confirmou ser a misteriosa fonte.

 

(Fonte: http://oglobo.globo.com/mundo -85-3050786 – MUNDO/ Por Lisa Richwine – POR REUTERS/BRASIL ONLINE – WASHINGTON (Reuters) – 20/02/2010)

(Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2010/02/20 – NOTÍCIAS – INTERNACIONAL – 20/02/2010)

 

 

 

 

 

 

Powered by Rock Convert
Share.