Gabriella Pascolato, foi importante figura da história da moda brasileira, dona da empresa de tecelagem Santaconstancia

0

Empresária do ramo têxtil

 

 

Pedro Bial entrevista Costanza Pascolato em seu programa no GNT em 02/12/2016. (Foto: Márcia Alves / O Universo da TV)

Pedro Bial entrevista Costanza Pascolato, filha da Rainha Gabriella Pascolato em seu programa no GNT em 02/12/2016. (Foto: Márcia Alves / O Universo da TV)

 

 

 

Gabriella Pascolato (Tortona, Província de Alexandria, Itália, 12 de junho de 1917 – São Paulo, Estado de São Paulo, 21 de agosto de 2010), empresária italiana, e mãe da grande consultora de moda Costanza Pascolato e dona da empresa de tecelagem Santaconstancia.

 

Importante figura da história da moda brasileira, Gabriella Pascolato junto de seu marido, o advogado Michele Pascolato, era ministro de Benito Mussolini (falecido em 1986) fundou uma das tecelagens nacionais mais importantes do país. A ideia surgiu em 1947 quando Dior inventou o New Look e Gabriella ficou sabendo que um dos vestidos precisou de 40 metros de tecido para ser confeccionado. Daí então, ela concluiu de que no Brasil as mulheres não poderiam se vestir daquele jeito já que só havia tecido de algodão por aqui. Santaconstancia começou a fazer grande sucesso, que em 1954 a ocasião do suicídio do presidente Getúlio Vargas, a cadeira na qual ele foi encontrado morto, no Palácio do Catete, era da tecelagem da família Pascolato.

 

Nascida em Tortuna na Itália, em de junho de 1917, ela desembarcou primeiramente no Rio de Janeiro fugindo da Segunda Guerra Mundial para em fevereiro de 1946 residir definitivamente na cidade de São Paulo com seus dois filhos Costanza e Alessandro. Chegou a conhecer a família de Mussolini, Coco Chanel, Emilio Pucci e foi muito amiga dos Matarazzo.

 

Cliente de Salvatore Ferragamo (1898-1960) desde os 17 anos, Gabriella chegou a ser a representante oficial na América do Sul dos sapatos da grife italiana. Mas, em 1946 quando o então presidente Dutra baixou uma medida que controlava a importação dos produtos de luxo, o negócio tornou-se inviável.

 

 

 

Costanza Pascolato: Vestindo tubinho e colar de pérolas. Aos 17 anos, na casa dos pais, em São Paulo. (Crédito Divulgação Editora Jaboticaba e Arquivo pessoal)

 

 

 

Embora já havia alguns anos em que Gabriella não frequentava as semanas de moda mundiais, em 2003 a marca Zapping levou à passarela dez senhores e senhoras com mais de 60 anos e no fim do desfile, Renato Kherlakian, proprietário da marca, entrou com Gabriella. Os dois pararam em frente ao pit dos fotógrafos e no painel ao fundo era lido ” God Save the Queen of Fashion ” enquanto Kherlakian reverenciava Gabriella.

 

As memórias da empresária estão registradas no livro “Gabriella Pascolato – Santa Constância e Outras Histórias” (editora Jaboticaba). Trata-se de um longo depoimento dado ao autor Sérgio Ribas e que celebrou os 90 anos da mãe da papisa da moda, Costanza.

 

 

Livro – “Gabriella Pascolato” de Sergio Ribas (Foto: Mercado Livre / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

 

Gabriella Pascolato morreu no dia 21 de agosto no bairro onde morava, Higienópolis em São Paulo aos 93 anos de idade.

(Fonte: https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/moda – VIDA E ESTILO – MODA – 23 AGO 2010)

Share.