Foi o primeiro hotel na Suíça a usar luz elétrica

0
Powered by Rock Convert

Hotel Kulm: o berço do turismo de inverno

Foi o primeiro hotel na Suíça a usar luz elétrica

 

Kulm, primeiro hotel de St. Moritz, começou a tomar forma há 163 anos, depois que o casal Johannes e Maria Badrutt arrendou (e três anos depois comprou) a pequena Pensão Faller, com seus 12 quartos. Ano após ano, os proprietários foram expandindo a propriedade, adquirindo terrenos ao redor e construindo novas alas. Pioneiro em vários aspectos, o hotel foi o primeiro na Suíça a usar luz elétrica, no ano de 1879 – após o retorno de Johannes e seu filho da Exposição Universal de 1878, em Paris. Em 1928, também foi o palco dos primeiros Jogos de Inverno de St. Moritz.

 

Sua esplendorosa vista para o lago e para os Alpes de Albula conquistaram não só os Badrutt como também um número cada vez maior de hóspedes, que vinham tanto no verão como no inverno. Desde 1956 o hotel não está mais nas mãos do clã – passou por diversos proprietários que atribuíram novos toques à propriedade: uma reforma externa e do lobby em 1993, um novo campo de golfe de nove buracos inaugurado no ano 2000, a construção de novas suítes e a reforma completa do spa, finalizada em 2012. Nos últimos cinco anos, o movimento de atualização do hotel prosseguiu: em 2017 foi iniciada a reforma do Kulm Country Club, uma construção de 1905 que agora é um dos hotspots do vilarejo. Eventos de arte e de hipismo também são realizadas no local periodicamente.

 

 

Na temporada de inverno de 2018/19, duas grandes novidades surpreenderam os visitantes. Foi revelada parte da grande reforma dos quartos e suítes, idealizada pelo arquiteto Pierre Yves-Rochon, na qual 40 suítes estão passando por reshape total. No processo, algumas paredes foram demolidas, o que aumentou o tamanho dos cômodos e possibilitou a criação de novos ambientes para relaxamento nos quartos. Em todas as suítes o designer incorporou a madeira pinus Cembra, também conhecida como pinho suíço e muito utilizada no país. Para complementar a atmosfera aconchegante, foram acrescentados tecidos da marca italiana Loro Piana, especializada em lã e cashmere.

 

 

A segunda novidade da temporada foi a inauguração do novo clube de patinação no gelo. Lá é possível ter aulas de diferentes níveis, do iniciante ao avançado, em formato de grupos, duplas ou individuais.

 

 

A atmosfera e a decoração do Kulm, no entanto, preservam seu passado – nas largas colunas de mármore, no pé-direito alto, nos lustres adornados e nos sofás de veludo vermelho. A sensação é reforçada pelas fotos de antigos hóspedes ilustres e do passado “esportivo” espalhadas pelos corredores.

 

 

Dentro dos 164 quartos e suítes, móveis de madeira prevalecem. As suítes da categoria luxo têm banheiros mais clean, mais claros e com banheira. Para aproveitar a vista que fez a fama do lugar, opte por um quarto do lado do lago St. Moritz.

 

 

Como um retorno às raízes do turismo no vilarejo, o spa do Kulm é um templo do bem-estar. Todos os tratamentos e dependências foram pensados em cima de três pilares: relaxamento, desintoxicação e regeneração. São mais de 2 mil metros quadrados com piscinas interna e externa, jacuzzi, sauna, salão de beleza, academia e salas de tratamento. O serviço de personal trainer está disponível na academia, assim como aulas de tênis, golfe e esportes na neve.

 

 

Powered by Rock Convert

Para as famílias com crianças, o Kulm criou um providencial programa batizado de VIK (Very Important Kids). Os pequenos hóspedes podem aproveitar mimos – como se esbaldar com chocolate quente e sorvete nos restaurantes do hotel – e participar de uma extensa programação de atividades acompanhadas por monitores, incluindo aulas de esqui no inverno. Os pais também podem ficar aliviados com alguns serviços bastante úteis: o hotel disponibiliza lavanderia sem custo adicional para as crianças de até 12 anos e todos os utensílios necessários para os bebês nos quartos (como babá eletrônica e banheira). Se o casal quiser um jantar a sós, pode deixar os filhos no Marmotta Kids Club.

 

 

No quesito gastronomia, aliás, não é preciso sair do Kulm para conhecer diferentes conceitos. O dia começa com um café da manhã servido no emblemático Grand Restaurant (no mesmo lugar onde a energia elétrica foi testada pela primeira vez na Suíça). No amplo salão também é servido um menu de jantar com seis tempos, executado pelo chef Mauro Taufer. A The Pizzeria serve pizzas e massas e abre durante o almoço e o jantar. Para a autêntica culinária suíça, vá ao aconchegante Chesa al Parc, com serviço ininterrupto das 10h às 22h. Aos domingos é servido um fondue estilo chinês.

 

 

Já o Kulm Country Club, a “menina dos olhos” do hotel, tem uma atmosfera mais chique, com culinária italiana-mediterrânea que usa ingredientes locais e frescos. Na montanha funciona – só no inverno – o Bob Restaurant. Nesta temporada de inverno, o chef Tim Raue está, pela segunda vez, com o The K, um restaurante pop-up focado em culinária contemporânea com toques asiáticos. O Sunny Bar, também aberto apenas na temporada gelada, tem seu foco na culinária peruana.

 

 

A APOSTA

 

 

Diz a lenda que, no outono de 1864, Johannes Badrutt sentou-se ao lado da lareira do hotel na companhia de quatro hóspedes ingleses de férias. E começou a fazer propaganda das maravilhas do inverno em St. Moritz – uma linda paisagem coberta de neve que se aquece ao sol, com temperaturas amenas durante todo o dia. “Um paraíso na Terra”, concluiu. Os hóspedes, acostumados com os escuros, inclementes e desconfortáveis invernos ingleses, não acreditaram na conversa do anfitrião. “Então vamos fazer uma aposta. Voltem aqui em dezembro e, se o que eu falei não for verdade e vocês não gostarem da estadia, eu reembolso todo o dinheiro da viagem”, teria dito Badrutt. Os ingleses não só voltaram como, extasiados, ficaram até a Páscoa. E Badrutt não só ganhou a aposta como se tornou o “inventor” do turismo de inverno.

 

 

As notícias das férias de inverno na neve em St. Moritz se espalharam. Na década de 1890, empreendedores criaram novos esportes usando o gelo (como o bobsled) e organizaram competições no Parque Kulm – que se tornaram precursoras dos Jogos Olímpicos de Inverno.

 

 

INVERNO EM ST. MORITZ

 

• Para os adeptos de caminhada na neve, são 150 km de trilhas dentro do resort
• Para um pouco de aventura, é possível programar uma “viagem” de táxi-trenó pela única pista de trenó natural do mundo
• O rinque de patinação dentro da propriedade do Kulm é ideal para jogar curling e patinar no gelo

 

(Fonte: https://forbes.uol.com.br/fotos/2019/05 – FOTOS / FORBESLIFE – 26 de maio de 2019)

Powered by Rock Convert
Share.