“Feliz quem pode, orgulhoso,/ Dizer: ‘Nunca fu i vadio:/ E, se hoje sou venturoso,/ Devo ao trabalho o que sou’.” Olavo Bilac (1865-1918), poeta parnasiano, em “O Trabalho”, do livro “Poesias Infantis”.

0
Powered by Rock Convert

“Feliz quem pode, orgulhoso,/ Dizer: ‘Nunca fu i vadio:/ E, se hoje sou venturoso,/ Devo ao trabalho o que sou’.”

Olavo Bilac (1865-1918), poeta parnasiano, em “O Trabalho”, do livro “Poesias Infantis”.

(Fonte: Revista Caras, 6 de maio de 2016 – ANO 23 – N° 19 – Edição 1174 – CITAÇÕES – Pág: 30)

Share.