Eli Carlos, ídolo de Cruzeiro na década de 70, foi um dos integrantes da equipe que venceu a Copa Libertadores pela primeira vez na história do clube

0
Powered by Rock Convert

Eli Carlos, ídolo do Cruzeiro que atuou na década de 70

 

Ex-jogador atuou pelo Cruzeiro por quatro temporadas

 

Ex-atleta também atuou como técnico e dirigente. Ele teve passagens por Guarani, Cruzeiro, Coritiba e Flamengo.

 

Eli Carlos (Ribeirão Preto, em 19 de abril de 1954 – Campinas, em 22 de maio de 2020), ex-jogador, técnico e comentarista, ídolo de Cruzeiro na década de 70, ex-jogador atuou pelo Cruzeiro entre 1977 e 1980, e foi um dos integrantes da equipe que venceu a Copa Libertadores pela primeira vez na história do clube, em 1977.

 

Eli Carlos era o irmão mais velho de Silas, ex-meia do São Paulo e que chegou à Seleção brasileira nos anos 80 e 90.

 

O ex-jogador também atuou como comentarista da Rádio Bandeirantes e dirigente do Guarani, clube pelo qual foi revelado.

Eli Carlos Alberto Pereira, nasceu em Ribeirão Preto, em 19 de abril de 1954. Mudou-se cedo para Campinas, onde iniciou a carreira de jogador no Guarani. Logo se destacou como meia-atacante do time de Campinas (1970 a 1973). Era um meia talentoso, que atuava com a cabeça erguida e tinha boa presença de área. Extrovertido fora de casa, rapidamente, ganhou a fama de ‘bad boy’.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

Teve uma passagem rápida pelo Flamengo, mas entre 1975 e 1981 atuou no Cruzeiro e no Coritiba, equipes na quais é lembrado pelos torcedores.

 

No final de carreira, Eli Carlos vestiu a camisa de vários clubes do interior de São Paulo como Rio Claro, Comercial, Paulista, Francana e Ituano. Pendurou as chuteiras em 1987 no Palmeiras de São João da Boa Vista.

 

Após encerrar a carreira de jogador, aventurou-se como treinador À beira do gramado, trabalhou pelo Guarani em duas oportunidades – 1988 e 1990 -, além de Francana, Uberlândia, Paulista, Bragantino, entre outros. Atuou também como comentarista da Rede Bandeirantes de rádio e TV.

Eli Carlos faleceu em Campinas, em 22 de maio de 2020, aos 66 anos.

Ele estava em coma induzido desde 2018, quando sofreu uma parada cardíaca ao ser submetido a uma endoscopia e vinha sendo mantido vivo ligado a aparelhos.

(Fonte: https://www.msn.com/pt-br/esportes/campeonato-mineiro – ESPORTES / CAMPEONATO MINEIRO / Por Estadão Conteúdo – 22/05/2020)

(Fonte: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/lancepress/2020/05/22 – ESPORTE / FUTEBOL / ÚLTIMAS NOTÍCIAS / LANCE PRESS – 22/05/2020)

Powered by Rock Convert
Share.