Eduardo Borges, cantor da música sertaneja conhecido como Parrerito, do Trio Parada Dura.

0
Powered by Rock Convert

Parrerito, do Trio Parada Dura

 

Parrerito, do Trio Parada Dura, em 2017 — (Foto: Érico Andrade/G1)

 

 

Grupo foi criado em 1971 e teve diversas formações. ‘Fuscão Preto’ é um dos maiores sucessos.

 

Eduardo Borges (São Fidélis (RJ), 20 de junho de 1953 – Belo Horizonte, 13 de setembro de 2020), cantor mais conhecido como Parrerito, do Trio Parada Dura.

 

Atualmente, o Trio Parada Dura era formado pelos músicos Parrerito, Creone e Xonadão.

 

Parrerito nasceu em São Fidélis (RJ), mas construiu a carreira, com o Trio Parada Dura, em Minas Gerais. Ele morava com a família em Contagem, na Região Metropolitana de BH.

 

Voz principal do Trio Parada Dura, Parrerito marcou por quase quatro décadas gerações da música sertaneja no Trio Parada Dura.

oexploradorPowered by Rock Convert

Trio Parada Dura

Trio Parada Dura — (Foto: Trio Parada Dura/Divulgação)

Parrerito entrou para o Trio Parada no lugar do irmão Barrerito, que sofreu um acidente aéreo na década de 1980, ficou paraplégico, e decidiu seguir carreira solo.

O fundador do grupo e último representante da formação original, Carlos Alberto Mangabinha Ribeiro, conhecido como Mangabinha, morreu em 2015 depois de ter um acidente vascular cerebral.

O Trio Parada Dura foi criado em 1971 e teve diversas formações ao longo da história. “Fuscão Preto”, “Telefone Mudo” e “As Andorinhas” estão entre as músicas de maior sucesso gravadas pelo grupo.

 

O Trio Parada Dura foi criado na década de 70 e se destacou no cenário da música sertaneja após a canção As Andorinhas fazer sucesso nas rádios do país, em 1985. Já recebeu 11 discos de ouro e três de platina.

 

Parrerito entrou no grupo após um acidente aéreo grave com o trio em 1982 que deixou Barrerito, seu irmão, paraplégico. Após várias mudanças de integrantes, em 2016 se fez a formação atual do trio com Creone, Xonadão e Parrerito.

 

Parrerito faleceu em 13 de setembro de 2020, em Belo Horizonte, tinha 67 anos e era diabético. No último dia 31, ele teve um mal súbito e precisou ser levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular da capital, onde permaneceu em estado grave.

Diagnosticado com Covid-19, o músico estava internado desde o dia 29 de agosto e não resistiu às complicações da doença.

(Fonte: https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2020/09/13 – MINAS GERAIS / NOTÍCIA / Por Thaís Leocádio, G1 Minas — Belo Horizonte – 13/09/2020)

(Fonte: https://revistaquem.globo.com/QUEM-News/noticia/2020/09 – NOTÍCIA / por MARINA BONINI / DO HOME OFFICE – 13 SET 2020)

Powered by Rock Convert
Share.