Celso Piña, músico mexicano conhecido como o “rebelde do acordeão” por misturar estilos ecléticos com a cúmbia tradicional colombiana

0
Powered by Rock Convert

Celso Piña, músico mexicano, conhecido como o ‘rebelde do acordeão’

 

Músico mexicano fez até García Márquez dançar ao som dos ritmos colombianos do seu acordeão

 

 

 

Celso Piña (Monterrey, 6 de abril de 1953 – Monterrey, (norte do México), 21 de agosto de 2019), músico e compositor mexicano conhecido como o “rebelde do acordeão” por misturar estilos ecléticos com a cúmbia tradicional colombiana.

 

 

Piña, conhecido como “O rebelde do acordeão”, levou ao norte de México ritmos tropicais como a cumbia e o “vallenato”, que tocava acompanhado de seu grupo, a Ronda Bogotá.

 

 

Powered by Rock Convert

Com interesse em gêneros que iam desde o ska ao hip-hop, Piña colaborou com uma série de artistas de rock mexicanos, incluindo Cafe Tacvba, Lila Downs, e Julieta Venegas. Em 2002, seu disco solo “Barrio Bravo” foi indicado ao Grammy Latino.

 

 

O compositor e cantor começou a tocar música com seus irmãos durante a infância em Monterrey, cidade próxima à fronteira norte com os Estados Unidos. Ele começou no acordeão enquanto se aproximava dos 30 anos de idade, e, ainda em Monterrey, aprendeu o famoso estilo vallenato colombiano, central no dançante ritmo da cúmbia.

Em 2004, em uma festa na fundação Novo Jornalismo de García Márquez, Piña tocou a “Cumbia Sampuesana”, do colombiano José Joaquín Bettín Martínez, o que levou o Nobel de Literatura a dançar com sua mulher, Mercedes.

 

Celso Piña faleceu em 21 de agosto de 2019 após um ataque cardíaco em sua cidade natal de Monterrey (norte do México), afirmou sua gravadora La Tuna Records. O músico tinha 66 anos.

 

“Ninguém pode resistir à cúmbia”, escreveu Piña em seu último tuíte antes de sua morte, que ocorreu antes de uma série de shows planejados nos Estados Unidos, um dos 30 países pelos quais excursionou, de acordo com seu perfil na plataforma de streaming de música Spotify.

“O rebelde do acordeão nos deixou. Sua música uniu culturas latino-americanas e cativou americanos”, escreveu a Embaixada dos Estados Unidos no México no Twitter.

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/2019/08/22 – POP & ARTE / MÚSICA / NOTÍCIA / Por Reuters – 22/08/2019)

(Fonte: https://entretenimento.uol.com.br/noticias/afp/2019/08/21 – ENTRETENIMENTO / Por AFP –  México (AFP) – 21 Ago 2019)

(Fonte: Zero Hora – ANO 56 – N° 19.485 – 23 de AGOSTO de 2019 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 27)

Powered by Rock Convert
Share.