Carlos Eduardo Dolabella, participou de novelas, seriados, programa infanto-juvenil e minisséries

0

 

 

Carlos Eduardo Bouças Dolabella (Rio de Janeiro, 11 de junho de 1937 – Rio de Janeiro, 26 de maio de 2003), ator carioca com 37 anos de carreira.

 

 

 

A carreira de Dolabella decolou em 1963, quando ele recebeu o prêmio de melhor ator no festival de Teatro Amador do Estado da Guanabara.

No fim dos anos 1960, estreou na Globo onde participou de novelas, seriados, programa infanto-juvenil e minisséries. Atuou em 29 novelas, 4 minisséries, 13 casos especiais 16 peças de teatro e 15 filmes.

 

Dolabella se formou em relações públicas na Suíça na década de 1960. Falava cinco idiomas. Antes de se dedicar à carreira de ator, ele chegou a trabalhar em empresas do avô. Gostava muito de música e chegou a pensar em se tornar cantor.

 

 

Em 37 anos de carreira, ele participou de 29 novelas, quatro minisséries e 15 filmes. Seu último trabalho na tevê foi em Porto dos Milagres (2001). Pai de Dado Dolabella, foi casado com a atriz Pepita Rodrigues.

 

 

O último trabalho do ator carioca na TV Globo foi a minissérie A Muralha, em 2000. Um dos primeiros papéis de Dolabella na Globo foi na novela Selva de Pedra, de Janete Clair, no início da década de 70, sendo um dos maiores galãs da TV nas décadas de 70 e 80. Ele tinha 35 anos de carreira: na televisão fez 29 novelas, quatro minisséries e 13 Casos Especiais. Fora da telinha, Dolabella participou de 16 peças e 15 longa-metragens.

 

 

Ele também atuou em O Bem Amado, Força de um Desejo, Labirinto, Por amor, O campeão, Engraçadinha… seus amores, seus pecados, O Provedor, A Próxima Vítima, Irmãos Coragem, entre muitas outras.

 

 

 

Novelas

 

 

Nascido no Rio de Janeiro, Carlos Eduardo Bouças Dolabella tinha 37 anos de carreira. Participou de 29 novelas, entre elas os sucessos “Irmãos Coragem”, “Selva de Pedra” e “O Bem Amado”.

 

 

Em “Irmãos Coragem” (1970), de Janete Clair, Dolabella interpretou o delegado Falcão. Em “O Bem Amado” (1973), de Dias Gomes, o ator representou o papel do jornalista Neco Pedreira.

 

 

Na TV Globo, Dolabella atuou ainda em quatro minisséries e 13 casos especiais. Participou de 16 peças de teatro e de 15 filmes.

 

 

A estreia do ator na televisão ocorreu em 1966 na novela “O Amor tem Cara de Mulher” (TV Tupi), de autoria de Cassiano Gabus Mendes.

 

 

Seu último trabalho na TV foi na novela da Globo “Porto dos Milagres” (2001). Em 2000, participou do seriado “A Muralha”. O ator trabalhou também na novela “Força de um Desejo” (1999) e na minissérie “Labirinto” (1998). Em 1997, na novela “Por Amor”, fez o papel de Arnaldo Mota, que, na trama, era o marido da atriz Suzana Vieira.

 

 

 

Os problemas de saúde levaram a TV Globo a afastar Dolabella do elenco da novela “O Beijo do Vampiro”, que terminou no início deste mês. Ele não chegou a atuar na novela.

 

Temperamento

 

O temperamento do ator levou o falecido diretor de novelas Paulo Ubiratan a batizar com seu nome uma das quatro pontes de safena que recebeu em 1988 – as outras “homenagearam” Tônia Carrero, Lúcia Veríssimo e Mário Gomes.

 

O diretor, que fumava quatro maços de cigarros por dia e largou o vício na ocasião, ironizava assim os astros que lhe davam mais trabalho nos bastidores.

 

Internado desde o ínicio de fevereiro, o ator Carlos Eduardo Dolabella morreu em 25 de maio de 2003, vítima de falência de múltiplos órgãos decorrente de uma série de complicações cardíacas.

 

O ator Dado Dolabella, filho de Carlos Eduardo com a atriz Pepita Rodrigues – que agora está gravando um CD, dedicou uma música de seu disco para o pai. A faixa chama-se Intuição e tem a participação de Tarcísio Meira, lendo um texto de Mário Lago.

 

Dolabella sofria de diabetes e estava internado no Hospital Samaritano, na zona sul do Rio de Janeiro, havia 102 dias – desde 12 de fevereiro deste ano. O ator estava respirando com ajuda de aparelhos e estava em coma induzido.

 

Dolabella teve falência múltipla de órgãos e morreu às 19h20. Seu problema de saúde começou com uma insuficiência no miocárdio. Em 2002, ele foi submetido a duas cirurgias.

(Fonte: https://www.terra.com.br/istoegente/200/aconteceu – Edição 200 – ACONTECEU – TRIBUTO / por Dirceu Alves Jr. – 02/06/2003)

(Fonte: https://www.terra.com.br/exclusivo/noticias/2003/05/26 – EXCLUSIVO – NOTÍCIAS / GENTE & TV – 26 de maio de 2003)

(Fonte: https://www.tribunapr.com.br/noticias/brasil/ NOTÍCIAS / BRASIL / Por Agência Estado – 27/05/2003)

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada – FOLHA DE S.PAULO / ILUSTRADA / DA SUCURSAL DO RIO – São Paulo, 27 de maio de 2003)

Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados.

Share.