Bill Lynn, baterista do rei do rock Elvis Presley, em 1960, da gravação da canção “It’s Now or Never”

0
Powered by Rock Convert

Bill Lynn, baterista de Elvis Presley, que nasceu em Bogotá, mas foi ainda criança para os Estados Unidos

 

 

Bill Lynn (Bogotá, Colômbia, 1933 – Villa de Leyva, Colômbia, 5 de janeiro de 2006), baterista do rei do rock Elvis Presley.

 

Lynn, que nasceu em Bogotá e viveu desde criança nos Estados Unidos, participou com Presley, em 1960, da gravação da canção “It’s Now or Never”.

 

O baterista trabalhou durante cinco anos com Presley, de quem foi amigo até sua morte, em 1977. Lynn vivia em Villa de Leya, pequena cidade a cerca de 200 km de Bogotá, onde costumava exibir filmes dos quais participara ao lado do cantor, quando jovem.

 

Em 1960, o percussionista interpretou com Elvis Presley a canção “It’s now or never” (versão em inglês para o clássico “Il sole mio”), e o tema ao vivo foi gravado, tornando-se um sucesso. Desde então, ele trabalhou durante cinco anos com Elvis, de quem foi amigo até a sua morte, em 16 de agosto de 1977, quando o rei do rock tinha apenas 42 anos.

 

Powered by Rock Convert

Bill Lynn faleceu em 5 de janeiro de 2006 na Colômbia, aos 73 anos, de complicações pulmonares. Morreu em função de uma complicação pulmonar aos 73 anos na cidade colombiana de Villa de Leyva (200 km ao norte de Bogotá), onde ele tinha um bar.

 

“No fim de semana, ele estava muito bem, muito contente porque há quinze dias tinha reformado o local, com paredes duplas para que pudesse fazer o barulho que quisesse com sua bateria. Estava com uma gripe forte, que se complicou na madrugada e morreu”, destacou Cristina Alarcón, secretária de Cultura e Turismo do departamento de Boyacá e amiga pessoal de Lynn.

 

As pessoas da cidade estão muito abaladas porque Bill era um desses personagens que chegam e ficam. Ele se tornou uma das atrações de Villa de Leya”, disse Alarcón, para quem, além da música, Lynn tinha em seu bar vinis e objetos autografados por Elvis.

 

“Suas festas eram memoráveis porque tocava bateria, se fazia acompanhar de roqueiros colombianos da velha guarda. Além disso, enquanto interpretava a música de Elvis Presley, passava os filmes em que os dois apareciam na juventude”, lembrou a funcionária.

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada / FOLHA DE S.PAULO / ILUSTRADA / MEMÓRIA 2 – São Paulo, 7 de janeiro de 2006)

Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados.

(Fonte:https://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada – ILUSTRADA / da France Presse, em Bogotá – 06/01/2006)

Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados.

Powered by Rock Convert
Share.