Arolde de Oliveira, senador (PSD-RJ), era aliado do presidente Jair Bolsonaro

0
Powered by Rock Convert

Parlamentar era aliado de Bolsonaro, cumpria primeiro mandato

 

 

Arolde de Oliveira (São Luiz Gonzaga, em 11 de março de 1937 – Rio de Janeiro, em 21 de outubro de 2020), senador (PSD-RJ), eleito pelo Rio de Janeiro com 2.382.265 votos em 2018. O parlamentar era natural de São Luiz Gonzaga, no noroeste do Rio Grande do Sul. Arolde estava radicado no Rio de Janeiro desde 1959, quando estudou na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende. Depois, foi trabalhar no Instituto Militar de Engenharia (IME).

 

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, Arolde cumpria seu primeiro mandato como senador da República, mas foi eleito deputado federal por nove mandatos consecutivos.

 

Evangélico e dono do grupo MK de Comunicação, Arolde nasceu no município de São Luiz Gonzaga (RS). Foi integrante da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), no Rio de Janeiro, e se formou engenheiro pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Especializado em telecomunicações, também atuou como executivo na Embratel, durante os anos 1970, e chegou a secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações em 1973, no governo Ernesto Geisel, com o ministro Hygino Corsetti.

Em 1983, então filiado ao PDS, herdeiro da Aliança Renovadora Nacional (Arena), candidatou-se a deputado federal, mas não foi eleito. Como suplente, ocupou a cadeira de deputado entre 1983 e 1984 e, depois, em definitivo, a partir de 1986. Elegeu-se deputado federal pelo PFL seis vezes (1987, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2006) e pelo DEM, herdeiro do PFL, em 2010.

oexploradorPowered by Rock Convert

Filiou-se ao PSD em 2011 e se elegeu mais uma vez em 2014. Foi secretário dos transportes do Rio de Janeiro durante o governo César Maia, em 2002. Ele também é proprietário da rádio 93 FM, dedicada ao público pentecostal.

Trajetória

Engenheiro e economista, Arolde de Oliveira foi deputado federal por nove mandatos e atualmente era senador pelo Estado do Rio. O senador também era considerado um aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Arolde estava em seu primeiro mandato no Senado após ser eleito, em 2018, pelo Rio de Janeiro, com 17% dos votos válidos. O mais votado foi Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

Na campanha ao Senado, Arolde destacou pontos, como: ser contra a legalização do aborto, das drogas e dos jogos de azar, além de ser a favor da escola sem partido, defender o fim da progressão de pena, a redução da maioridade penal e a flexibilização do estatuto do desarmamento.

Arolde de Oliveira nasceu São Luiz Gonzaga, em 11 de março de 1937. Cursou a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e depois se formou como Engenheiro pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) se especializando na área de Telecomunicações.

Além dos mandatos na Câmara e no Senado, Arolde também foi secretário de Transportes do Rio e secretário de Trabalho e Renda do Estado do Rio.

Arolde de Oliveira faleceu no Rio de Janeiro em 21 de outubro de 2020, aos 83 anos, vítima de Covid-19. O político, que estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul da cidade, foi o primeiro senador em exercício a morrer de coronavírus.

Quem deve assumir a vaga de Arolde é o primeiro suplente, o advogado Carlos Francisco Portinho (PSD). Ele foi subsecretário de Habitação do Rio de Janeiro na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes. No perfil em uma rede social consta que Portinho é sócio na empresa Stockler Macintyre & Portinho Advogados.

(Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/10/21 -Por G1 Rio – 21/10/2020)

(Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus – NOTÍCIAS / por Marlla Sabino – 21 OUT 2020)

(Fonte: Zero Hora – ANO 57 – N° 19.849 – 23 OUTUBRO 2020 – MEMÓRIA / TRIBUTO – Pág: 26)

Powered by Rock Convert
Share.