Andrew L. Stone, foi um prolífico diretor de cinema que recebeu elogios por seu filme “Tempestades e Intempéries” (1943), estrelado por Lena Horne (1917-2010)

0

Andrew Stone, diretor, escritor e produtor de filmes

 

 

 

 

Andrew L. Stone (Oakland, Califórnia, 16 de julho de 1902 – Los Angeles, Califórnia, 9 de junho de 1999), foi um prolífico diretor de cinema que recebeu elogios por seu filme “Tempestades e Intempéries” (1943), estrelado por Lena Horne (1917-2010), e recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood em 1960.

 

 

Entrou no ramo do cinema como funcionário de uma bolsa de cinema em São Francisco e depois mudou-se para Hollywood. Ele começou a trabalhar para a Universal em 1918 e aperfeiçoou suas habilidades cinematográficas fazendo séries para a Paramount.

 

 

Stone também produziu a maioria de seus filmes e escreveu seus roteiros. Ele se casou com sua primeira esposa, Virginia, que era editora de filmes, em 1946, e ela ajudou a produzir e editar seus filmes por um tempo, começando no final dos anos 50. Eles acabaram se divorciando.

 

 

Virginia e Andrew Stone no set de A Última Viagem. (Foto: New Beverly Cinema / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

 

“Tempestades e Intempéries” foi uma revista musical totalmente negra que atraiu elogios especiais por sua estrela. Uma resenha no The New York Times chamou-a de “um espetáculo de primeira classe” e um “divertimento entusiasmado”, especialmente “quando” Lena Horne mergulha nas profundezas do desespero romântico para mostrar o clássico número de blues, depois de o filme é intitulado. Andrew Stone dirigiu seu primeiro longa-metragem em 1928. Nas duas décadas seguintes, dirigiu principalmente musicais e comédias e fundou a Andrew Stone Productions em 1943.

 

Ele também foi aplaudido por sua direção, nos anos 50 e 60, do que o enciclopedista Ephraim Katz chamou de “pequenos thrillers e principalmente melodramas”. Essas obras foram filmadas em cenários autênticos, como um transatlântico ou um avião, que não havia sido consertado para a ocasião.

 

 

 

Um historiador de cinema, Ezra Goodman, escreveu em seu livro de 1961 “The 50-Year Decline and Fall de Hollywood” que Andrew e Virginia Stone foram “talvez os únicos cineastas fazendo qualquer tipo de trabalho novo em Hollywood hoje”. Pedras, acrescentou ele, “criam histórias de suspense que produzem uma boa medida de suspense”.

Um filme que Stone dirigiu nesse período, “Cry Terror” (1958), foi filmado em sites em Nova York e estrelou James Mason como um homem forçado a ser o servo de uma gangue que incluía Rod Steiger como um psicopata. extorsionista.

Stone também dirigiu filmes musicais no final de sua carreira. “Song of Norway” (1970) foi a versão cinematográfica de uma opereta baseada na vida e na música de Edvard Grieg. O filme foi filmado em locações na Escandinávia, Itália e Grã-Bretanha.

Outro musical de Stone, “The Great Waltz” (1972), foi ambientado na Áustria e tratava da vida de Johann Strauss. Esses musicais não acrescentaram aos louros do Sr. Stone; o crítico de cinema Leonard Maltin os chamou de “sem intenção engraçada”.

Stone nasceu em Oakland, Califórnia, e frequentou a Universidade da Califórnia.

Stone morreu em Los Angeles, Califórnia, em junho de 1999. Ele tinha 96 anos.

(Fonte: Companhia do New York Times –  ARQUIVOS | 2000 / De ERIC PACE – 2 de dezembro de 2000)

Share.