A primeira mulher a chefiar o governo tunisiano e a ocupar o posto em países de língua árabe

0
Powered by Rock Convert

Tunísia é primeiro país árabe a nomear mulher para cargo de primeira-ministra

Tunísia nomeia, pela 1ª vez, uma mulher ao cargo de primeira-ministra

 

Najla Bouden Romdhane é a 1ª mulher a chefiar governo tunisiano e a ocupar o posto em países árabes

 

O presidente da Tunísia, Kais Saied, nomeou uma mulher ao cargo de primeira-ministra do país na 4ª feira (29.set.2021). Najla Bouden Romdhane é a 1ª mulher a chefiar o governo tunisiano e a ocupar o posto em países de língua árabe.

 

Dois meses após tomar amplos poderes executivos, presidente Kais Saied escolhe Najla Bouden Romdhan para liderar o governo do país. Romdhan, de 63 anos, trabalhou no ministério da educação superior em 2011, ela assumirá o cargo em um momento de crise, com as conquistas democráticas da revolução de 2011 em dúvida e com uma grande ameaça às finanças públicas, embora haja dúvidas sobre quanto poder, de fato, terá.

Em julho, Saied depôs o governo e congelou as atividades do Parlamento, liderado pelo partido islâmico moderado Ennahda, um movimento que seus inimigos rotularam de golpe.

Romdhane é professora universitária, com experiência em implementação de projetos no ministério da educação. Nas redes sociais, o presidente pediu que a primeira-ministra formasse rapidamente um novo governo e disse que a principal missão da nova gestão é “colocar um fim na corrupção” presente em instituições estatais, discurso com o qual foi eleito.

 

Saied destacou a nomeação de uma mulher: “Uma honra para a Tunísia e uma homenagem para mulheres tunisianas”. Além de Romdhane, o presidente também indicou uma mulher, Nadia Akacha, ao cargo de chefe de gabinete.

 

Apesar da nomeação, o papel da primeira-ministra será menos importante do que costumava ser em administrações anteriores. Em anúncio, Saied declarou que o governo será responsabilidade do presidente e que ele poderá selecionar ou demitir ministros de gabinete.

 

oexploradorPowered by Rock Convert

O país passa por uma crise institucional depois de o presidente destituir o primeiro-ministro anterior, Hichem Mechichi, e paralisar as atividades do parlamento. Depois do feito, Saied assumiu como autoridade do Executivo e, na semana passada, suspendeu parte da constituição, passando a governar por decretos.

 

A Tunísia também enfrenta uma crise nas finanças públicas devido a anos de estagnação econômica, agravada pela pandemia do coronavírus.

 

Centenas de tunisianos foram às ruas da capital em 23 de setembro para protestar contra a tomada de poder de Saied.

“Vamos trabalhar para acabar com a corrupção e o caos que tomou conta das instituições do país… perdemos muito tempo”, disse o presidente durante seu encontro com Romdhan, em 29 de setembro.

(Fonte: https://www.cnnbrasil.com.br/internacional – INTERNACIONAL / por Mostafa Salem da CNN – 29/09/2021)

(Fonte: https://www.poder360.com.br/internacional – INTERNACIONAL / por ANNA JÚLIA LOPES / ESTAGIÁRIA DE JORNALISMO – 29.set.2021)
© 2021 Todos os direitos são reservados ao Poder360, conforme a Lei nº 9.610/98.

 

 

Tunísia tem primeira-ministra pela 1ª vez em sua história

Najla Bouden é professora universitária e fará parte do governo do presidente tunisiano, Kais Saied

 

O presidente tunisiano, Kais Saied, nomeou um novo governo, que terá uma primeira-ministra, a professora universitária Najla Bouden, pela primeira vez em sua história – informou a Presidência em nota divulgada em (11/10).

Após o golpe institucional aplicado por Saied, o novo governo terá, porém, poder limitado.

Najla Bouden foi nomeada em 29 de setembro, mais de dois meses depois da destituição do premiê Hichem Mechichi, em 25 de julho, por parte do chefe de Estado. Ele também congelou o Parlamento e assumiu o Poder Judiciário.

(Fonte: https://noticias.r7.com/internacional – INTERNACIONAL / por AFP – 11/10/2021)
Powered by Rock Convert
Share.