A primeira fotomontagem da história

0

A primeira fotomontagem da história

Essa foto ficou conhecida como a primeira fotomontagem da história. Na verdade, não houve manipulação na imagem em si, mas na cena: Hippolyte Bayard simulou sua própria morte!

Hippolyte Bayard

Louis-Jacques Mandé Daguerre – A primeira fotomontagem da história – (Foto: Divulgação)

 

Em 1839, o francês Louis-Jacques Mandé Daguerre, apoiado em várias experiências de outros inventores, patenteou o processo de gravação de uma imagem com o nome de daguerreótipo. O fato é que na época, Daguerre não era o único que estava na corrida para o desenvolvimento da fotografia. Em 1839, por exemplo, outro francês chamado Hippolyte Bayard deu uma melhorada em um processo fotográfico diferente, mas sua invenção foi ofuscada pela patente de Daguerre!

Hippolyte Bayard ficou tão desanimado com a falta de interesse de todos pela sua invenção que simulou o seu suicídio.

Em 1839, o francês Louis-Jacques Mandé Daguerre, apoiado em várias experiências de outros inventores, patenteou o processo de gravação de uma imagem com o nome de daguerreótipo.

O sistema consistia na exposição de uma placa revestida de ouro e prata em vapores de iodo, que formava uma camada de iodeto de prata. Depois da placa ficar exposta à luz, a revelação da “foto” acontecia depois que a mesma placa tomava um banho de vapor de mercúrio e depois fixada em uma solução de tiossulfato de sódio. Apesar de registros mostrarem que na época de Aristóteles o homem já conhecia alguns métodos para a produção de imagens com a ajuda da luz, o ano de 1839 foi fixado como o do nascimento da fotografia.

O fato é que na época, Daguerre não era o único que estava na corrida para o desenvolvimento da fotografia. Em 1839, por exemplo, outro francês chamado Hippolyte Bayard deu uma melhorada em um processo fotográfico diferente: Consistia no mergulho de uma folha de papel em uma solução de cloreto de sódio e, depois de seca, dava-se um banho de nitrato de prata e expunha-a aos vapores do mercúrio e do iodo. No sistema desenvolvido por Hippolyte, as fotos eram reveladas diretamente no positivo, tipo aquelas fotos da Polariod, manja?

Todo alegre com a sua invenção, Bayard toma um banho de água fria, ao saber que Daguerre estava “queimando do filme” de todos os outros inventores!

O senhor que havia patenteado o daguerreótipo era, antes de tudo, um grande comerciante! O cara não só conseguiu ganhar muito dinheiro como também um enorme prestígio, além de estragar com os planos dos demais inventores e fotógrafos da época.

Hippolyte Bayard ficou tão desanimado com a falta de interesse de todos pela sua invenção que simulou o seu suicídio:

Então Bayard não é conhecido como o inventor da fotografia, mas como o primeiro a forjar uma cena fotográfica!

Junto à imagem havia uma carta que dizia o seguinte:

“Este é o cadáver de M. Bayard, inventor do processo que acaba de ser mostrado para você. Este pesquisador incansável dedicou três anos de sua vida com sua descoberta. O Governo, que só foi generoso com o Sr. Daguerre, disse que nada pode fazer para o Sr Bayard e o infeliz suicidou-se… Esquecido no necrotério por vários dias, ninguém foi reconhecer o corpo. Senhoras e Senhores Deputados, é melhor passar adiante por medo de ofender o sentido do olfato, pois como você pode observar, o rosto e as mãos do cavalheiro estão começando a decair. ”

Portanto, Bayard não é conhecido por ser o inventor da fotografia, mas por ter feito a primeira fotomontagem da história.

Só não vamos desmerecer aqui o trabalho de Hippolyte. Suas descobertas e seus projetos contribuíram para a história da fotografia de maneira incalculável!

Segundo Martin Lesterem em seu livro Photojournalism An Ethical Approach, de 1999, Bayard recebeu um prêmio, em 1841, de 3.000 francos pela Societe d’Incentivo pour l’Industrie Nationale em reconhecimento ao seu esforço e dedicação.

(Fonte: http://www.e-farsas.com – 15 de fevereiro de 2017)

Share.